A democracia é o único caminho

COMPARTILHAR

Novos e perturbadores documentos secretos relativos à ditadura militar de 64 começam a ser divulgados nos Estados Unidos, após um longo período trancado nos armários americanos.

Revelam, por exemplo, que o próprio general-presidente tinha total conhecimento das execuções de críticos do regime.

Isso joga por terra a versão dos próprios militares de que a violência do regime era coisa de alguns radicais, nunca do comando militar.

A ditadura de 64 foi, sem duvida, um regime violento. Foi um regime capaz de cometer as maiores atrocidades contra pobres e indefesos civis em nome da segurança nacional.

Cometeu tantas atrocidades que as feridas ainda hoje continuam expostas, não conseguem cicatrizar.

O brasileiro vitima deste regime opressor não consegue esquecer o passado, até porque os esqueletos não permitem.

Os esqueletos continuam saindo do armário, um após outro, enfileirados, numa fila que parece não ter fim.

E a ditadura só pode ser sepultada de vez na nossa memória após o enterro do último esqueleto.

O Brasil precisa saber da verdade, precisa saber de toda a verdade.

Só assim conseguiremos levar paz aos muitos corações que ainda sangram sem noticias de seus filhos e parentes desaparecidos durante o regime militar.

A verdade, a grande verdade, é que ditadura, militar ou civil qualquer que seja ela, é sempre nociva à nação e à população.

Ditadura é um regime que suprime direitos fundamentais, é um regime montado sobre pilares como a censura e a perseguição e a eliminação pura e simples dos adversários.

A ditadura é exatamente o oposto do regime democrático.

A ditadura de 64 não foi a única no Brasil. O governo Vargas, ou pelo menos a maior parte dele, também foi uma ditadura que não deixou saudades.

Nenhuma ditadura deixa saudades.

Exemplos como Rússia, Cuba, Alemanha, Portugal e Espanha estão aí, ainda recentes na memória das pessoas.

Alguns brasileiros, descrentes de tudo – cada um com suas razões – chegam a defender a ditadura como solução para nossos problemas.

Cometem um equivoco. Cometem um grave e perigoso equívoco.

Não há, pelo menos até agora, nenhum regime no mundo que possa ser melhor que o democrático. É nesse contexto que temos que resolver nossos problemas.

A situação do Brasil não é fruto da democracia.

É fruto sim de um bando de aproveitadores e saqueadores que se aproveitou do nosso comodismo eterno para praticar seus crimes.

Não podemos culpar a democracia pelas nossas próprias omissões.

Outubro está se aproximando.

E com ele o dia de mais uma eleição.

E nesse dia é muito importante que nos lembremos de tudo isso.

Lembremos, pois, que fora da democracia não há solução para os nossos graves problemas.

Chico Leal 

Às 08:58

COMPARTILHAR